Marta Pendelhaven

Uma prima com quem Agnar cresceu, agora uma agente de Wee Jas destacada no Condado

Description:

Raça: humana
Classe: Rogue/?
Nível: ?
Alinhamento: N
Religião: Wee Jas
Status: activo, desaparecida

Marta é uma aventureira baixa e esguia. A sua tez é pálida e a sua pele tem muitas sardas, mas suas feições são comuns, com olhos castanhos e cabelo escuro indomável. Embora não seja propriamente bela, o seu aspecto brincalhão, nariz empinado e sorriso quente conferem-lhe uma expressão afável. Marta adora usar capas com capuz e prefere vestir roupas exageradamente largas e escuras que permitam usufruir ao máximo a sua agilidade, pelo que o seu corpo atlético apenas é visto quando emprega a sua armadura de cabedal.

Bio:

Marta é prima de Agnar pelo lado da mãe e sempre residiram na mesma aldeia do Reino da Estrela, sendo que nasceu aproximadamente três anos antes do aventureiro. Como tal, Marta e Agnar cresceram juntos tal e qual como se tratassem de irmãos, pelo que ela sempre assumiu um papel protector em relação ao seu primo até este ser levado pela Ordem do Caminho Errante.

Quando o pai de Marta faleceu na guerra entre o Reino da Estrela e o Reino da Lua, a família viu-se sem meios de subsistência. Apesar da sua mãe e tia trabalharem arduamente para poder fornecer, nem sempre era suficiente para haver comida na mesa durante todo o ano e, durante os tempos difíceis, Marta começou a ter de roubar comida (e às vezes dinheiro) às escondidas para sobreviver. Desde então que ela começou a sentir o peso da responsabilidade pois ela acreditava fervorosamente que, se não fosse ela a arranjar alimento para a família, todos eles passariam fome.

À medida que Marta ia crescendo, também as suas acções iam tornando-se mais ousadas. Começou a criar armadilhas para caça pequena e com um pequeno arco e flechas conseguia apanhar alimento suficiente para reduzir custos em casa. Por outro lado, Marta havia tomado o gosto pelo furto e continuou a fazer pequenos furtos aos viajantes que passavam pela aldeia. Durante anos conseguiu manter o segredo de toda a gente, inclusive da sua família…

…Até que um dia, tinha Marta dezanove anos, a sua mãe ficou subitamente doente. Ao longo de meses de sofrimento o seu estado de saúde nunca melhorou, apesar de Marta convocar padres de várias religiões e pagar por muitos tratamentos que nunca funcionaram. A experiência transtornou e desmoralizou Marta de tal forma que perdeu o alento para as suas actividades favoritas. Um dia soube da presença numa aldeia vizinha de Lázar, um famoso padre-guerreiro de Wee Jas. Marta viajou dias para o encontrar e pedir-lhe ajuda mas Lázaro recusou ver a sua mãe, pois encontrava-se com grande pressa a caminho da guerra contra o Reino da Lua.

Não contente com a resposta, Marta procurou desesperadamente pelos pertences do padre-guerreiro por uma poção ou pergaminho de cura mas foi apanhada em pleno furto. Compadecido pelas acções da jovem, Lázaro acedeu generosamente em observá-la e tentar curá-la. Infelizmente, a ajuda que Marta trouxe já não chegou a tempo de salvar a sua mãe, pois esta havia falecido na sua ausência. Foi Lázaro quem conduziu o funeral da mãe de Marta e consolou a jovem antes de partir para a guerra.

Marta deixou a sua aldeia uma semana depois em busca do bondoso padre-guerreiro de Wee Jas, com o intuito de participar na guerra. Para trás deixou junto da mãe de Agnar o fruto de anos como larápia, um valor aproximado de 600 moedas de ouro para que nunca mais tivesse de passar fome. Marta ficou para sempre ligada à igreja de Wee Jas, mesmo após o falecimento de Lázaro em batalha.

Consta-se que Marta serviu como espia e sabotadora e deste modo ajudou a vencer muitas batalhas e preveniu a morte de incontáveis soldados. Os feitos dos espiões raramente se tornam conhecidos e o transtorno da guerra faz com que Marta se sinta desconfortável em partilhá-los, mas mesmo assim sabe-se que esta guerreira se tornou uma figura valiosa durante a guerra contra o Reino da Lua, conhecida pela sua coragem e sucesso.

Depois das tréguas entre ambos os reinos que marcaram o fim da guerra, Marta ingressou oficialmente na igreja de Wee Jas, onde opera actualmente em missões especiais.

Marta Pendelhaven

As Cronicas do Condado das Nuvens shaarlander