As Cronicas do Condado das Nuvens

O futuro

(neutral ending)

Pouco depois dos eventos previamente descritos, nada mais se ouviu falar dos aventureiros. À medida que os anos se foram passando, os relatos acerca dos seus feitos e façanhas tornaram-se histórias, e as histórias converteram-se em lendas, embora nem todas contassem a mesma versão acerca dos Esquartejadores de Artebas.

Após quase um ano de buscas sem sucesso e dezenas de interrogações, a Guarda de Artebas fechou o caso referido ao grupo de mercenarios composto por Kell, Agnar, Lyra, Luvon e Martha. As autoridades não foram capazes de perceber o propósito do grupo de mercenários por detrás das duas acções contra o armazém da Companhia da Folha Dourada, o assassinato do mago Baltazar e o roubo do seu Oculodivinoscópio; apesar da cadência de eventos sugerir uma correlação obscura entre eles.

Ficou também claro que os mercenários desempenharam um papel determinante na obliteração de Legueia do mapa do Condado. Foram feitas outras tentativas de re-estabelecer lá população, mas mesmo as pessoas mais desesperadas recusavam-se a permanecer naquele local. A outrora próspera vila piscatória jaz abandonada, e agora que trinta anos se passaram, restam apenas algumas casas vazias à mercê da maresia e a sinistra igreja no topo de uma escarpa.

Apesar das acções dos mercenários sugerirem um intuito terrorista, os testemunhos daqueles que conviveram de perto com os aventureiros relatavam acerca de um grupo de benfeitores que procuravam fazer o bem e aliviar o sofrimento dos outros. Perante tão grande discrepância entre relatos e acções, a Guarda foi incapaz de emitir um parecer sobre a sua posição acerca dos aventureiros e o caso foi arquivado, juntamente com as queixas e acusações associado a eles.

Mas mesmo que o caso tenha ficado esquecido para os militares, as especulaçoes sobre os feitos dos aventureiros mantiveram-se acesas na boca do povo durante muito tempo. Alguns acreditam que os aventureiros foram heróis incompreendidos, enquanto que outros acham que o título de Esquartejadores lhes faz jus. Para o bem ou para o mal, a magnitude dos seus feitos no Condado (ampliado pelo álcool servido nas tavernas e estalagens) tornou-se lendário e um elemento do seu folclore.

Nos meses posteriores ao desaparecimento dos aventureiros, instalou-se o caos após um grupo organizado de humanóides monstruosos liderados por Relgore ter iniciado cerco a diversas povoações do Condado. Serviram as acções de Surma e de um grupo de aventureiros liderado por ela (nos quais se encontravam Alice, Cid e Arithiel), que num esforço heróico conseguiram fazer frente às hordas de hobgoblins e ogres. Relgore e o seu exército foram derrotados antes que pudessem arrasar Artebas e os heróis foram condecorados pelas suas acções.

Surma e os seus companheiros viriam também a desaparecer do Condado após iniciarem uma expedição à Ilha Esquecida. Antes de desaparecer, a elfa terá cumprido finalmente a sua promessa com Beck e restaurado o seu andar. Enquanto viveu, o velho guarda fez todos os anos uma peregrinação até à Torre das Escamas de Pérola, para agradecer o seu gesto generoso com uma grinalda de flores lançada ao mar.

A Companhia da Folha Dourada conseguiu resistir ao cerco de Artebas. Posteriormente ao desaparecimento de Surma, e sem que nada previsse este desfecho, subitamente deixou de exercer funções sem que nenhum motivo ficasse esclarecido. As actividades da Companhia foram posteriormente assumidas por outras pequenas empresas, uma delas liderada por uma meio elfa chamada Terza.

Jakk manteve-se como o deus dos mendigos, embora os teólogos estejam convencidos que este seja apenas uma das muitas manifestações de Olidammara, o deus das partidas e ilusões. Apesar de pequeno, o seu culto manteve algumas células activas que ainda assediam aventureiros que chegam ao Condado.

Independentemente dos eventos já elaborados, o Condado das Nuvens continuou a prosperar nos últimos 30 anos. Agora que a população já aqui se encontra bem estabelecida, os seus olhos começam a virar-se para a Terra de Ninguém e especula-se acerca das riquezas que poderão estar para além dos Montes Bezedores…

Comments

shaarlander

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.